quinta-feira

Ciberativismo ou ativismo de sofá


Eu sempre procuro debater em fóruns, em posts feministas. Adoro defender minhas ideias, adoro ver pessoas mudando suas opiniões a respeito dos meus ideais e adoro conhecer gente que também tem senso de justiça. Acabo conhecendo nesses debates pessoas inteligentes, bem humoradas e que acabam tendo a minha admiração mais que pessoas com quem convivo.
Conheci várias feministas, converso com elas por chat e geralmente são assuntos tão bons, tão interessantes e falados tão amigavelmente que parece que estou com algum amigo meu conversando em casa enquanto comemos um bolo!

Em tempos onde a internet faz parte da nossa vida, é obvio que ela interfere sim e tem um grande poder em vários aspectos, por isso me irrita profundamente quando pessoas minimizam certas causas apenas por estarem sendo discutidas em blogs ou pelo Facebook.


Já vi muitas lutas começarem pela internet. Já vi mudanças de empresas, já vi pedido de desculpas e campanhas retiradas, já vi justiça, denúncias e protestos. Participei de petições e vi a integrantes da banda New Hit que estupraram 2 meninas terem shows cancelados por conta de ações promovidas por páginas feministas.
Então como pode as pessoas subestimarem tanto o poder da internet?
Como podem falar "saiam do sofá e façam alguma coisa de verdade" sendo que nem mesmo do sofá essas pessoas fazem algo?
Como podem duvidar do ativismo cibernético?


Antigamente as pessoas não faziam nada além de reclamar. E hoje que podem fazer algo, hoje que a internet está ao alcance o que elas fazem? Riem de quem acredita nessa ferramenta.
Eu só posso lamentar por quem não vê isso como algo que pode ajudar.
A internet não é só lugar de memes, de contos, de moda, de discussões superficiais, é também lugar de guerra, de luta.


Enquanto eu puder vou falar, vou escrever, vou assinar petições, vou votar, vou compartilhar e vou debater. Vou tentar do meu modo defender o feminismo e combater o machismo. Se ele se encontra em cada pedacinho da nossa vida, também pode ser combatido nesses mesmos pedacinhos.


E posso comprovar que ciberativismo muda através da minha vida. Antes eu era cega, surda, ignorante e machista. Graças a blogs que eu conheci, que li por dias e dias e que enriqueceu meus pensamentos me tornei uma pessoa melhor e que consegue ver além do que me ensinaram.
Sinto orgulho dessas pessoas que nunca vi ao vivo. Sinto orgulho do tempo que elas gastam escrevendo e se comunicando como podem. Sinto orgulho de fazer parte disso.

2 comentários:

Deixe abaixo de seu comentário o endereço do seu blog para que eu possa retribuir a visita :D